Bora seguir o www.borapramalta.com.br, gente!

Passei por aqui só pra lembrar vocês que agora todo o conteúdo aqui do Bora, assim como os novos posts você encontra no

 www.borapramalta.com.br

Bora acompanhar, comentar e compartilhar! =)

Bora pra Malta agora é ponto com, ponto br

Imagem

Pão de 100 metros é atração na 6ª edição do evento “Lejl f’Casal Fornaro” em Qormi

Uma das coisas que eu mais amava comer em Malta eram os pães. Hummm só de pensar já me dá água na boca. hehehehe É, mas não era qualquer pão, não, viu?! O melhor de todos são os pães de uma cidade de 16.850 habitantes que fica no sudoeste de Malta. Os pães de Qormi.

Ah! Mas eu não sou a única apaixonada pelos pães desta cidade maltesa. O sucesso dos pães de Qormi vem dos tempos dos Knights of St John (Cavaleiros de São João). Os cavaleiros que eram super exigentes, só comiam pães de Qormi. Afinal, lá era conhecido como “Casal Fornaro”, uma aldeia de padeiros e o centro de panificação maltês da época. Bom, este título a cidade possui até os dias de hoje, pois ainda é a cidade que mais tem padarias em Malta. Eu li que por lá as padarias ainda são à lenha, mas ainda não consegui confirmar essa informação. Se for verdade, com certeza esse é um dos segredos dos pães fazerem tanto sucesso. Minha mãe sempre dizia que o forno à lenha dava um toque especial às pizzas, então acredito que o mesmo aconteça com os pães, né?! hehehehe

É por isso que se eu estivesse em Malta esse final de semana, com certeza, eu estaria me divertindo e devorando alguns pães de Qormi no evento Lejl f’Casal Fornaro (Uma Noite em Casal Fornaro). Um festival criado em 2007 por um grupo de jovens malteses, da ong Kummissjoni Żgħażagħ Bastjaniżi, para divulgar as tradições e cultura dessa região, em especial os deliciosos pães e vinhos produzidos por lá.

A festa, que acontece pelas ruas da cidade, era pra ter acontecido nos dias 14 e 15 de setembro foi adiada para este final de semana, 21 e 22 de setembro. O que achei muito interessante, é que além da recriação de um ambiente folclórico com decorações, danças e comidas típicas maltesas, durante o evento acontece uma comemoração especial para o pão, chamada de Festa ta’ Ħobż (Festival do Pão em maltês). Um pão de 100 metros é preparado e a verba arrecada com sua venda é revertida para o fundo de assistência social Malta Community Chest Fund. Além de comer uma gostosura daquelas, você ainda ajuda uma porção de projetos sociais. Achei muito bacana essa inciativa.

Bom, agora você já sabe, quando estiver em Malta,  uma boa pedida é experimentar um os deliciosos pães malteses de Qormi e visitar esse interessante festival.

Quer ver um pouquinho dessa festa? Dá uma olhada no vídeo abaixo.

48 anos da Independência de Malta

Depois de alguns anos de negociações, o movimento de independência ganhou força e no dia 21 de setembro de 1964, um referendo mudou o rumo da história de Malta. Com aprovação de 54.5% dos eleitores, Malta deu seu grito de independência e tornou-se uma monarquia constitucional. (O posto de República só foi conquistado 10 anos depois)

Procurando alguma foto bacana para postar por aqui sobre o tema, descobri essas fotos que mostram o making of da produção do monumento ao Jum l-Indipendenza (Dia da Independência em maltês). O monumento feito de bronze e mármore foi criado pelo artista Ganni Bonnici e desde 1989 está na entrada Il-Mall de Floriana. Mas o que ele significa?

Foto: DOI

Foto: DOI

;

;

;

Foto: DOI

A estátua da Independência é um marco na carreira do artista que assina uma porção de monumentos da ilha. Segundo Bonnici, o monumento de 8,5 m mescla o abstrato e figurativo. A figura feminina simboliza Malta, as faixas abaixo de seus pés são as algemas do passado, das quais ela se soltou para dar um passo rumo ao desconhecido. E em uma de suas mãos, ela ergue firmemente a bandeira nacional.

;

Todos os direitos reservados a anspics

;

São as águas de setembro, fechando o verão

Enquanto em São Paulo estamos implorando para ter nossa garoa de volta, em Malta a semana começou debaixo d’água. E a minha timeline do Facebook inundada por posts, vídeos e fotos de desastres provocados por um tornado que passou pela ilha. Após muitos relâmpagos, trovoadas, ventos fortíssimos  e uma chuva torrencial, os estragos foram muitos pelas ilhas. As ruas se transformaram em rios com correntezas próprias para rafting. Mas além de ruas alagadas, havia carros capotados e destruídos por todos os lados, muros quebrados, árvores e postes caídos. E, claro, muito trânsito.  Setembro abre a temporada de chuvas maltesas que só termina em março. Porém este não é o mês mais chuvoso da ilha, São Pedro costuma concentrar seus pé d’águas em novembro e dezembro.

tornado Malta

Foto: Christian Magro, Times of Malta

enchente Malta

Foto: Luana Galea, Times of Malta

enchente Malta

Foto: Ivan Abela, Times of Malta

estragos causados pela enchente em malta

Foto: Omar Camilleri

estragos causados pela enchente em Malta

Foto: Michael Fenech Adami

estragos da enchente em malta

Foto: Di-ve

num dia chuva, no outro sol em Malta

Depois da tempestade, vem a bonança, né?! Do lado esquerdo a foto tirada na segunda, e do lado direito a foto do dia seguinte. Foto: Luana Galea

Veja mais fotos  e alguns vídeos aqui e aqui. E no meio desse mar de catástrofes, encontrei algumas fotos bem humoradas, mostrando que o povo maltês também tem um ótimo senso de humor em momentos como esse. Dá uma olhada e divirta-se com as fotos a seguir.  ;) hehehehe

enchente e humor em Malta

Atendimento subaquático do Mc. hahahahaha Essa é ótima!

enchente e humor em Malta

O título diz: “Bem vindo ao Lago de Msida” e complementa: “Quem disse que não existem lagos em Malta?”  rsrs

enchente e humor em Malta

Foto editada que circulou pelo Facebook ontem. A montagem mostra como se                                                                                      um submarino estivesse passando pelo rio formado pelas águas da enchente.

enchente e humor em Malta

Novo modelo de transporte público em Malta. hahahaha

enchente e humor em Malta

Essa dispensa legenda, né?! hahahaha

Bora lá curtir a nossa fan page? =)

www.facebook.com/BoraPraMalta

Tem produtos brasileiros em Malta?

produtos brasileiros em Malta

Esses são alguns dos produtos que consumimos no Brasil e podem ser encontrados,
mas engana-se quem pensa que todos são iguais aos daqui.

Uma das coisas que eu mais fiz em Malta foi experimentar comidas novas, mas tinha dias que batia uma saudade do temperinho de casa. Da comida da mãe, da vó, dos restaurantes, da padaria… Eu morria de saudade de comer pão de queijo, empadinha, coxinha, etc. Eu que não sou muito fã de guaraná senti vontade de tomar um, dá pra acreditar? hehehe Algum psicólogo por aqui pra nos explicar por que isso acontece? Com certeza é aquele velho papo de queremos ter o que não podemos, né?!

mercadinho em dublin vende produtos brasileiros

Esse mercadinho eu encontrei no centro de Dublin.

Malta não tem um mercadinho com muitos produtos brasileiros como esse ali em cima na foto em Dublin. Que aliás eu não tive muita sorte, afinal nesse dia não tinha nem pão de queijo, nem coxinha. Mas num outro dia também em Dublin, eu tomei guaraná e comi lula à dorê num trailer brasileiro.

Já, em Dusseldorf, quando fui visitar meu primo, ele e sua esposa prepararam um deliciosa feijoada e até uma moqueca de camarão, com ingredientes comprados por lá mesmo. Ah! E de sobremesa teve pudim de leite e doce de leite, mas esse último eles não compraram lá. Eu que tive a sorte de ir visitá-los na mesma época que um mineiro. hahahaha

comida brasileira fora do brasil

Aí estão os pratos preparados pela esposa do meu primo quando visitei eles em Dusseldorf e o prato de lula à dorê com guaraná que comi num quiosque de brasileiros na Irlanda. Tudo estava delicioso. NHAM!

Enfim, mas não fique triste, pois em Malta você também encontra alguns ingredientes para preparar certas delícias brasileiras e diminuir um pouco da sua vontade. Alguns ingredientes, você encontra nos supermercados normais. Alguns que são essenciais para uma boa sobremesa, como creme de leite, leite condensado (ambos da Nestlé e eu não notei diferença alguma no sabor, talvez um pouco na consistência, mas nada que prejudique as receitas), chocolate em pó, granulado, coco ralado, cravo, gelatina, limão, etc. Eu amava fazer mousse de limão, beijinho, brigadeiro tradicional e aquele rosa, também conhecido como bicho de pé. Meus amigos, tanto os brasileiros quanto os gringos amavam. Se você sabe cozinhar bem, com certeza vai poder preparar muitos outros doces e salgados típicos do Brasil. Uma amiga minha fez coxinha. Um outro pastel. Eu fiz bolinho de arroz, bolinho de espinafre, feijão, farofa, moqueca de camarão sem azeite de dendê. É, ok, esse não ficou parecido em nada com uma moqueca nem baiana nem capixaba. =( hahahaha Fizemos doce de leite com a lata do leite condensado e sem panela de pressão. A vontade aliada à criatividade e pesquisa no google ajudaram bastante! hehehehe

doces brasileiros em Malta

Aí você algumas delícias que eu e meus amigos preparamos em Malta. Brigadeiro, beijinho, mousse, bolo de brigadeiro com morango… Yummy!

O prato preferido do brasileiro, talvez seja o que você menos sinta falta em Malta. O arroz com feijão você não vai encontrar nos restaurantes, mas vai poder prepará-lo por lá. Ele não é importado do Brasil, não me lembro a origem, mas eu experimentei o preto e o vermelho e gostei muito. Quem sabe mais pra frente faço uma pesquisa sobre os tipos de feijão e posto por aqui.😉 O único problema é que não encontrei panela de pressão. Aí o jeito era deixar de molho de um dia para o outro e cozinhar por um bom tempo. De qualquer maneira, uma das marcas que eu gostava de comprar era da Good Earth.

arroz com feijão e farofa em Malta

Algumas das vezes que preparei arroz com feijão e farofa em Malta.

E ontem na revista Gourtmet Today que vem dentro do jornal Malta Today aos domingos saiu uma matéria com uma brasileira ensinando algumas receitas para os malteses, dentre elas a feijoada. Segundo a própria Taiana informa lá na página do Facebook da revista, os ingredientes para fazer a feijoada você encontra nos supermercados Arkadia e no Scotts.

Achei muito bacana a iniciativa dela de divulgar um pouco da nossa culinária por lá, espero que os mateses tenham gostado.

Revista Gourmet Today Malta

Eu e uma amiga arriscamos até uma receita de pão de queijo adaptada, pois por lá não existe polvilho nem azedo, nem doce. Não ficou igual, mas deu pra matar um pouco da vontade. Combinamos de tentar uma segunda vez com mais queijo, mas depois esquecemos. hehehehe Outra hora posto a receita por aqui.

pão de queijo, bolinho de arroz e espinafre em Malta

Aí está o pão de queijo que fizemos. Ficou bonitão, vai?! Os bolinhos de espinafre e arroz eu não sei a origem, mas é algo bastante na comida feita em casa, não?!

E por lá você vai achar o Nescafé brasileiro. Eu não sou fã de café solúvel, mas ele quebrava um galho de vez em quando. Embora eu adorasse tomar os cafés expressos que tem nas cafeterias em Malta, eu comprava esse para tomar logo que eu acordava e no meio tarde. E tem diversas opções, do clássico ao descafeinado. Mas o meu preferido era o Gold que o sabor era mais suave e não parecia tanto com café solúvel.

A cerveja Skol, apesar de ser produzida aqui no Brasil pela Ambev, ela pertence à dinamarquesa Carlsberg. Por isso a Skol que você verá por lá, tem o rótulo e sabores bem diferentes. Apesar do nome, a Skol de lá não vem do Brasil.

Guaraná e farinha de mandioca no Asia Food Store

Agora existem outros ingredientes que você precisa ir até locais específicos para encontrar. Um dia estava na escola e minhas amigas coreanas vieram me contar super felizes que tinham ido num mercado asiático e lá havia uma sessão de comida brasileira. Eu fiquei tão feliz, mas elas não sabiam me dizer o que havia por lá. eles não sabiam me dizer o nome da rua, mas me disseram como chegar lá. E é claro que eu me perdi. hehehehe Mas por sorte vi um homem asiático com umas sacolas nas mãos e decidi perguntar. Ele disse que eu estava bem longe e me levaria até lá, pois estava de carro. Ele me deixou na porta do mercado. Que sorte que eu tive, né?! Logo que entrei na loja, chamada Asia Food Store, havia uma placa informando sobre produtos brasileiros. Passei pelo pequeno mercado, mas não vi nada típico brasileiro. Pensei: Pegadinha do Malandro, né?! Quase. Os produtos brasileiros que eles tem por lá são farinha de mandioca da Yoki e Guaraná Antártica. E para a minha sorte, naquele dia só tinha a mandioca, o guaraná estava em falta. hehehehe Como eu não sou super fã desse refrigerante, não me importei. Já sobre a a farinha de mandioca, optei por comprar de uma marca asiática, pois ela era mais branquinha que a da Yoki, como as que família come no Paraná e Santa Catarina. Confesso que voltei um pouco decepcionada para a casa, mas feliz em poder fazer uma farofa pro jantar. hehehehe Por lá eu comprei uma água de coco asiática, mas não é como a nossa daqui. É mais doce e tem uns pedaços do coco.

Ah! E falando em água de coco, eu encontrei em uma loja de produtos naturais em St. Julians, se não me engano era da marca Kerococo. Tinha a 330 ml e 1 litro. Comprei a pequena e foi bem caro, algo em torno de 5 euros. E achei o sabor mais artificial que a vendida aqui no Brasil. Vou tentar encontrar o nome da loja pra vocês, ok?!

asia food store malta

Ah! O endereço na loja Asia Food Store é 51 , Triq Nazju Ellul na cidade de Gzira. A loja fica numa esquina com a Triq Turu Rizzo. Dá uma olhada no google maps, pois não é difícil de chegar lá. Apesar de ter me perdido na ida, pois me explicaram de um jeito meio complicado, na volta eu saí de lá super fácil.

Essas foram algumas das minhas dicas sobre produtos brasileiros em Malta. Por lá você também vai encontrar um restaurante brasileiro chamado Do Brazil, eu estive visitando o local, mas não me agradou. Só que este é um papo que fica pra outro dia, ok?!

E aí pronto pra matar a um pouquinho a saudade do Brasil e mostrar a culinária brasileira para seus amigos gringos? Bom apetite, pessoal!

UPDATE: Pessoal, desculpem, fui informada que no Asia Food Store não tem mais à venda o guaraná Antártica e a farinha da Yoki. De qualquer maneira, para quem faz questão de comer farinha, pode fazer como eu fiz e comprar a farinha asiática que provavelmente ainda deve ser vendida por lá e é uma delícia. Caso nem essa mais exista, peço a compreensão e colaboração de vocês para que eu possa atualizar essa informação também, ok?!😉 Thx!

Cantor maltês e sua banda são contagiados pelo sucesso de Michel Teló

Felizmente, a febre da música “Ai se eu te pego” passou. Sim, eu detestava essa música. Ela gruda de uma maneira irritante na nossa mente. Mas o sucesso foi tão grande que cruzou fronteiras e fez muito gringo cantar e dançar. Ganhou até versões em diversos idiomas, inglês, hebraico, italiano, polonês, etc. E Michel Teló, que possui um carisma inegável,  passou a fazer shows pelo mundo. Não, ele não esteve por Malta. Mas eu diria que ele perdeu uma boa oportunidade de ter seu show lotado tanto quanto o Isle of MTV. hahahahaha Sério! Pra você não achar que endoidei de vez, dá uma olhada nesse vídeo aí em cima.  Um dos cantores de maior sucesso de Malta, Kurt Calleja (já falei dele por aqui outras vezes) cantou a música e não foi em inglês, muito menos em maltês. Foi em português mesmo. Esse show aconteceu na Euro Village durante o Eurovision 2012 no Azerbaijão.  É muito divertido. Calleja fez até a dancinha. hehehehe Aliás, alguém se habilita para dar umas aulinhas de gingado brasileiro pro moço? hehehehe =P

Show emocionante em Floriana com o tenor maltês Joseph Calleja

Joseph Calleja Malta 2012

 

Dá uma olhada nesse vídeo do Times of Malta com os melhores momentos do show  Joseph Calleja que aconteceu ontem em Floriana. Calleja fez duetos com o italiano Gigi D’Alessio e o irlandês Ronan Keating, além de contar com um lindo e forte coral de 200 crianças. A Orquestra Filarmônica de Malta foi dirigida pelo internacionalmente aclamado maestro Steven Mercurio, que tem colaborado com Calleja em seu novo álbum que é um tributo à estrela da ópera Mario Lanza.

 

Foto do dia: Abelharuco Pérsico, um espetáculo de cor e beleza

abelharuco pérsico bee eaters em malta

Que grata surpresa acordar e ver uma foto tão linda quanto essa. E o melhor, acompanhada de uma notícia tão bacana. Essa ave da foto, o Abelharuco Pérsico, foi encontrada em Malta, pelos ornitólogos Michael Sammut e Natalino Fenech, depois de dois anos de ausência. Segundo a matéria de hoje no Times of Malta, essa espécie foi vista em Malta pela última vez em 2009 na região de Dwejra e depois nunca mais se teve notícia. Até que em junho deste ano ela foi vista voando por dois lugares distintos e teve seu ninho localizado. Apesar de ser chamada na Europa de Beeeaters, numa tradução livre comedores de abelhas, este não é o único inseto que faz parte do cardápio desta colorida ave. Ao que parece, eles gostam bastante de vespas, marimbondos, mariposas, libélulas, etc.

Antigamente, por ser bastante colorida, esta era uma ave muito procurada em Malta por caçadores para serem empalhadas. Era uma ave muito utilizada para decorar às casas até mesmo de pessoas que não tinham interesse em caça. Com certeza, este é um dos motivos de terem sumido da ilha. Felizmente, de modo geral, essa prática desapareceu, apesar de ainda existirem caçadores em Malta.  

A natureza é uma espetáculo!❤